Resenha: A Sabedoria do Condado

7 comentário(s)

Esse livro é tão surpreendentemente bom, que me senti emocionada em várias passagens do texto, seja pelas belíssimas homenagens às criações de Tolkien, seja pelas mudanças que a leitura inspirou em minha vida.
A Sabedoria do Condado será uma experiência maravilhosa para os amantes da obra que a inspirou, porém, é um livro que deve ser lido por todos. Mesmo que você não conheça muito sobre as obras de Tolkien, pode ter certeza que irá apreciar a leitura em todos os momentos.
A princípio, você pensa que o livro de trata de um “autoajuda disfarçado”, mas não é bem isso. A Sabedoria do Condado traz, sim, lições e dicas para uma vida mais longa e feliz (como se propõe em sua própria capa), porém, tudo com bom humor, leveza, citações e referências detalhadas ao universo criado por Tolkien e todos os seus personagens, belíssimas homenagens aos mesmos, além de exemplos dados pelo autor citando sua própria vida.
Lições simples, que costumamos deixar passar despercebidas, podem ser tiradas dessas páginas tão bem escritas.
A leitura irá te deixar encantado do início ao fim, sentindo-se na própria Terra-Média.
Temos capítulos dedicados não apenas aos costumes dos Hobbits (como longas caminhadas ao ar livre, apreciação de boa música e comida, contato com a natureza, etc.), como também dedicados a outros personagens, como as Ents (árvores gigantes, semelhantes a humanos), os Elfos, os anões e o adorado Gandalf.
O livro nos mostra como Tolkien foi inspirado em sua criação, nos presenteando com uma terra maravilhosa, com princípios que podemos aplicar em nossas próprias vidas para torná-las melhor. Ele também mostra como os personagens são especiais e irão ter vida eterna na memória da humanidade, uma vez que foram criados com tanto amor.
Aliás, o capítulo (“Amor na Terceira Era”) dedicado a explicar o romance nas obras de Tolkien é um dos mais belos. Ele mostra o amor verdadeiro e de almas gêmeas que muitos personagens cultivam e pelo qual lutam bravamente. Um amor, muitas vezes, perdido entre os humanos.
Outro capítulo que gostaria de citar é o “Aguentando o fardo do seu Anel”, que faz um paralelo brilhante entre o Anel de Sauro e os fardos que carregamos em nossas vidas atuais. Por fim, vale citar também o capítulo “A luz de Eärendil”, que tocou o meu coração com sua mensagem de esperança e com a citação de uma belíssima passagem dos escritos de Tolkien.
Os capítulos são curtos, de fácil entendimento, e com um agradável resuminho no final. A capa do livro é belíssima e de muito bom gosto, pois nos sentimos vendo o Condado de dentro de uma Toca-Hobbit, e, no final do livro, há um teste para saber o quanto você é um Hobbit, além de dicas para construir um jardim como essas tão amáveis criaturas pequeninas faziam.
Portanto, entre no Condado sem medo, aproxime-se da natureza, lute pelos seus sonhos, seja feliz em sua própria Toca-Hobbit e, acima de tudo, viva como um Hobbit na Quarta Era.

Como o livro possui passagens belíssimas, fiz esta resenha especial, destacando diversos trechos que considerei especiais:

“Os heróis de Tolkien podem ser personagens de ficção, mas as lições que aprendemos com suas aventuras são maravilhosamente reais e significativas para nossas vidas” (Pág. 14).

“Bilbo enfrentou duendes enlouquecidos, dragões diabólicos, aranhas maquiavélicas que falavam e um psicopata que falava esquisito. No entanto, de todas as criaturas na Terra-Média ele tem mais medo de dois Hobbits gananciosos: seus primos sinistros, aqueles Sacola-Bolseiro” (Pág. 65).

“Muitas pessoas arruínam a saúde e os relacionamentos indo atrás de riquezas. E alguns, voluntariamente, quebram suas bússolas morais no começo da viagem, deixando de lado a ética e a empatia para perseguirem a prosperidade” (Pág. 70).

“Quando o Velho Salgueiro Homem, a árvore vingativa que mora na floresta, na periferia do Condado, prende Merry e Pippin dentro do seu tronco retorcido, somos apresentados a um aspecto crucial da Terra-Média: os Hobbits estão em um relacionamento único com o mundo natural, relacionamento que poderia favorecer qualquer um dos lados. Em nosso mundo, gostamos de acreditar que somos os mestres da natureza. Na Terra-Média, no entanto, o sábio sabe que a natureza pode contra-atacar” (Pág. 75).

“A verdadeira bravura é tomar a dianteira, como Sam e Frodo, entendendo que pode ser que sua história ou o que você está passando nunca chegue ao conhecimento de alguém. Sobreviver a uma experiência difícil e crescer como pessoa é a verdadeira recompensa” (Pág. 89).

“Os paradigmas do amor verdadeiro na Terra-Média devem passar por experiências terríveis antes de conseguirem encontrar a felicidade. O amor verdadeiro, para eles, é como os pedaços quebrados de Narsil, forjada uma segunda vez: os golpes do martelo só a deixam mais forte” (Pág. 114).

“Todos nós nos beneficiaríamos se carregássemos conosco um frasco de Galadriel, uma luz de estrela mágica engarrafada que poderia brilhar nos tempos sombrios de nossas vidas” (Pág. 159).


Informações:
Título: A Sabedoria do Condado
Subtítulo: Tudo sobre o estilo de vida dos Hobbits para uma vida longa e feliz
Autor: Noble Smith
Gênero: Ficção inglesa
Editora: Novo Conceito
Páginas: 176

Borboletas azuis:




Agradecimentos à editora Novo Conceito, por ceder o livro para o blog. Saiba mais sobre ele clicando aqui.


7 comentários:

Sabrina Piano disse...

Adorei a resenha, muito informativa, isso me deixou com vontade de ler, porque não é um livro que me interessaria pela capa e pelo titulo.

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Eu sou fã da trilogia O Senhor dos Anéis, para mim ainda não teve livro que me conquistasse tanto quanto (quaseee) e eu fico imensamente feliz por saber que A Sabedoria do Condado é bom...com certeza quero ler este livro. :)

Anônimo disse...

Adorei a resenha.. me ajudou muito.
comecei a ler o livro emprestado de uma amiga minha que é de fora. só que ela teve que viajar de novo e não deu tempo de acabar de ler :/
gostei e me emocionei em varias partes tambem...
to louca pra ler de novo...
parabéns!!
beijoo
vitoria machado

Jheyscilane disse...

*----* Adorei os quotes do livro que você escolheu! Ainda não li nenhum livro do Tolkien :/ será que não seria melhor eu ler antes de ler este? Qualquer coisa vou colocá-lo na lista de leituras próximas :)

Beijos, Jhey!

Marli Carmen disse...

Oi, eu tenho muita vontade de conhecer o livro. Gostei da proposta dele!
Beijos amazônicos para você!
Boa semana.
http://marlicarmenescritora.blogspot.com.br/

VANESSAANGELQ disse...

Nossa na expectativa para ler,assisti aos filmes,ao Hobbit recentemente,esse livro é um presente para os fãs assim temos mais informações sobre o incrível mundo Hobbit,feliz em saber que tem várias passagens do texto,pelas belíssimas homenagens às criações de Tolkien,e ainda lições e dicas para uma vida mais longa e feliz.

Jennifer disse...

Bem, eu não li nada do Tolkien, mas vi o todos os filmes. Sei que não é idêntico, mas já é um começo.
Ainda assim, fui muitíssimo com a cara do livro, só a capa me deixa louca de vontade ler, mas eu fui numa livraria e vi que ele estava caro pra mim :( Mas em breve vou ler e sei que não vou me decepcionar...

Postar um comentário