Entrevista com a escritora Selène D'Aquitaine

8 comentário(s)
A literatura nacional tem crescido a cada ano, assim como os talentos nacionais. Para exemplificar essa nova geração de autores brasileiros, trago hoje uma entrevista mais que especial com a autora Selène D'Aquitaine.


Entrevistada - "Selène por Selène":
Selène d’Aquitaine (Adriana, no RG...), 19 anos, signo de Gêmeos. Moro em Cotia, cidade bem próxima a São Paulo. Sou escritora desde os 15 anos e estudante de Letras da Universidade de São Paulo (USP) desde 2011. Falo inglês fluente, gosto de estudar e ler. Um dos meus autores favoritos é C.S. Lewis.


1. Selène D’Aquitaine, obrigada pela entrevista. Comece falando um pouco sobre esse pseudônimo utilizado em sua carreira literária, seu significado e escolha.
Queria um nome que melhor se adequasse a minha personalidade, em primeiro lugar. “Selène d’Aquitaine” lembras os nomes antigos, com certo tom de mistério, lembra um pouco os nomes da Idade Média, e tem um leve ar gótico. Gosto muito de ler sobre a Idade Média, principalmente as histórias referentes a feiticeira Morgana Le Fay. A Arquitetura gótica, aliás, é a minha favorita. “Selène” faz referencia a Lua. Gosto muito de escrever a noite! A Lua – desde tempos antigos – é misteriosa, e amiga de muitos escritores. A Lua também representa a dualidade. Adoro as diferentes interpretações que podemos fazer em relação a ela. Eu sou um pouco “de lua”, aliás! A Lua que vemos a noite – a sua imagem – é igual para todos nós, mas seus significados... são vários.

2. Você começou a escrever desde muito jovem, tendo sua primeira obra publicada aos quinze anos. Por favor, nos diga como foi sua trajetória literária e a motivação inicial da mesma.
Minha mãe sempre me apoiou muito. Tenho facilidade para escrever e inventar histórias. Lembro que, quando eu era criança, nas aulas de Produção de Texto e Filosofia, eu adorava quando a professora pedia para a turma continuar a escrever uma narrativa a partir de um determinado ponto pré-estabelecido ou então criar pequenos textos encadeando certas palavras, interpretar uma imagem ou o significado de uma frase/expressão. Publicar meu primeiro livro não foi fácil, eu era muito nova, um pouco imatura, e não tinha noção de como era o processo editorial, mas nem por isso eu deixei de tentar. Minha trajetória não foi fácil. Poucos levam fé em uma garotinha com aparência frágil e com pouca idade. Eu conversava com os editores por telefone. Apenas após isso eu mandava o texto impresso. Começo de carreira muitas vezes é complicado, porém é um processo que requer estudo, persistência e aprimoramento.

3. Recebi seus livros e, em breve, resenharei dois deles, achei todo o universo construído por você na trilogia “Annástria” muito curioso, como foi esse processo criativo? Fale um pouco da trilogia em questão.
Eu queria criar um mundo novo, uma dimensão nova com seus próprios deuses e princípios, mas que tivesse uma relação com a dimensão que chamo de “dimensão dos humanos” e como outras.  Não foi assim tão difícil criar Annástria. Eu li alguns livros que abordassem o assunto “dimensões paralelas” ou cuja história se passe em outro universo/mundo, e também li sobre Mitologia Grega e um pouco sobre a Wicca. Ler e estudar ajuda você a ter cultura sobre o assunto, isso é importante quando você pensa em criar um mundo novo. Tendo como apoio os meus estudos, analisei o que mais gostei e procurei usar como base para criar Annástria.

4. De todos os personagens que você já criou, algum deles tem um significado especial para você?
Eu gosto de todos meus personagens, na verdade, até mesmo dos vilões. Cada um deles tem seu encanto. É difícil escolher um... A Stellnaja, por exemplo, uma das personagens da Trilogia Annástria, não é uma heroína típica. Diferente de Darin, que acolhe bem a todos, e tem prazer em ajudar os que precisam, Stellnaja é desconfiada, um pouco maliciosa e praticamente não tolera traição, além de ter um lado sombrio. Lola, a protagonista de “Diário de Rabiscos” é ambiciosa, competitiva, mas tem um lado jovial, divertido e alegre. Lola tem muito de mim.
    
5. Conte-nos qual seu maior sonho como escritora.
São muitos, na verdade. Acho que, no fundo, todo escritor tem o sonho de ser reconhecido e de cativar seu público, fazer com que os leitores entendam sua mensagem. Conforme amadurecemos e temos experiências na vida, nossos sonhos ganham novos horizontes; novos sonhos surgem. Quero evoluir mais até saber melhor qual é o meu “grande sonho”...

6. Como você vê o mercado editorial para os jovens escritores?
O mercado editorial é um pouco chato com os novatos, porém muitas editoras estão começando a dar uma chance para os jovens.  Exige-se muito daqueles que estão começando agora, milhares de originais chegam todos os dias às editoras. Nós, jovens, precisamos ter persistência e mostrar o nosso valor, levar a sério o nosso trabalho, estudar, ler e aprimorar nosso conhecimento para que o mercado editorial saiba o valor dos novos autores. Há barreiras? Sim, mas isso não significa que elas não possam ser derrubadas.

7. O que gosta de fazer além de escrever?
Adoro estudar. Quando estou empolgada e inspirada... sou capaz de ficar horas estudando, lendo e até me esqueço de comer. Deixo sempre uma garrafa d’água ao lado, senão... posso me esquecer de tomar água também. Quando entro nesse "estado", a minha mãe precisa mandar eu fechar os livros e ir dormir. Também gosto de ir ao cinema, ou teatro e de assistir a desenhos de super-heróis (pois é... me ajuda a relaxar e dar risada). Ah, sim, gosto de ouvir música enquanto estou deitada na minha cama e de olhos fechados, apenas me concentrando no ritmo e na letra da música.
  
8. Deixe um recado a todos os apaixonados pelo universo literário e possíveis leitores de suas obras.
A leitura é mais do que prazer e entretenimento. Jamais percam essa paixão, ela é sua grande aliada. O conhecimento que vocês adquirem em suas leituras, ninguém pode tirar de vocês. Seus personagens favoritos acompanharão vocês em cada etapa de suas vidas, e muitas vezes irão ajudá-los a superar muitos problemas. Leiam um pouco de tudo, mantenham a mente aberta a novos conhecimentos, novos universos, e procurem captar as mensagens que seus escritores favoritos querem passar.

Conheça as obras de Selène (clique em cada título para ler a sinopse):

Diário de Rabiscos
O Jardim das Rosas Negras
Annástria e o príncipe dos deuses
Annástria e os sete escolhidos

Clicando aqui, você será redirecionado para o blog da autora e também encontrará os links de compra de todos os seus livros.

8 comentários:

Bru Silva disse...

Adorei a entrevista e já estou conferindo as obras da autora, parabéns pela entrevista. Beijos

Sammy disse...

Ótima entrevista, a escritora é muito fofa e simpatica, fiquei curiosa para conhecer os livros dela.

Bjs

www.daimaginacaoaescrita.com

Thaís C. P. disse...

Ameeei!!
Adoro suas entrevistas e esta, como sempre, está demais.
Não conhecia a Selène, nem suas obras, mas irei entrar nos links para conhecer.
Bju bjuu

Fabiane Ribeiro disse...

Oii meninas, obrigada por prestigiarem o blog com suas visitas e seus comentários!
Com certeza vale muito a pena conferir as obras da autora Selene!!! Fico feliz que tenham gostado da entrevista.

Grande beijo!

Fernanda - Trilhas Culturais disse...

Adoro ler entrevistas....ameii esta. Não conhecia essa escritora. Bjinhos.

RUDYNALVA disse...

Fabi!
Adoro as entrevistas porque através dela podemos conhecer um pouco mais como surgiu a criação ou no caso aqui, as criações, do autor e entender um pouco mais sobre todo processo até a edição e o livro pronto.
E parabéns pelas perguntas.
cheirinhos
Rudy

NARA DIAS disse...

Como não ficar curiosa para ler esses livros? É muito bom termos jovens escritoras aqui no Brasil, ainda mais a misteriosa Selene....

shayane moraes disse...

Amei a entrevista, descobri um pouco mais sobre esse mundo magico...

Postar um comentário